Homenagem ao meu avô Anselmo Favarato

Namorando a Olga

25/05/2011 00:00

Eu, o Otávio e o Pandolfi fomos a pé lá no Ceccato. Nós ficamos lá conversando, tomando café e eu já namorava a Olga. Até que eles queriam embora, e a Olga me disse: Não vai embora não, Anselmo, fica mais, depois você vai embora sozinho.

Eu quis ficar mais com a Olga: Então tá, depois eu vou sozinho com fé em Deus. 

E fiquei pra trás, mais umas duas horas depois e fui embora sozinho.

Assim que passei a primeira cancela ouvi um barulho, no susto saí correndo feito doido. Depois o susto passou e voltei a caminhar até a segunda cancela quando ouvi o barulho de novo. Ai meu Deus, será assombração!

 - Quem é que tá aí, meu Deus ?

Dessa vez saí correndo sem parar até chegar na terceira e última cancela. Abri bem devagar com muito medo e ouvi de novo o barulho, mas eu já estava cansado e não conseguia mais correr tanto! Eu parei e me escondi atrás do mato. Foi aí que eu vi dois homens vindo, eles passaram, não me viram escondido e não pararam.

Quer saber de uma coisa, eu vou atrás desses dois, quero ver quem são esses desgraçados!

E fui atrás bem quietinho.

Mas eles danaram a dar risada e eu reconheci.

- Ahh, são vocês, né! O que estão fazendo? É inveja, né? Só porque eu fiquei pra trás pra namorar a moça ?

Eles só ficaram rindo e não falaram nada. Mas era isso mesmo, eles também queriam namorar as moças, pois a Olga tinha outras irmãs solteiras, a Conceta e a Irene, somente a Virgínia já tinha casado.

Os dois ficaram é com inveja e nunca conseguiram namorar as irmãs da Olga!