Homenagem ao meu avô Anselmo Favarato

Arquivo de Artigos

09/07/2017 00:00

Anos depois...

Anos depois as reuniões da família passaram a ser na casa da Lagoa do Limão, um lugar muito legal onde fizemos muitas comemorações de aniversários, muitos natais e carnavais.    Os(as) bisnetos(as) estão crescendo e uma nova geração com novas famílilas virão. É vida que segue! No...
08/07/2015 00:00

E assim a família cresceu

Anselmo Favarato nasceu em 7 de Setembro de 1910, apesar das dúvidas sobre a data correta, porque em seu registro consta o mesmo ano de seu irmão mais novo, o Otávio. Isso não seria possível, afinal eles não eram gêmeos! Anselmo casou-se com Olga e tiveram tres...
29/05/2011 00:00

O sobrado

Primeiro meu pai morou na casa de estuque lá no Treviso, depois na casa mais antiga que ficava na parte baixa perto do rio, onde também contruiu a venda com o Tio Palazzi. Já tinham nascido o Afonso, o Ernesto, eu e o Otavio, e aí construiu o sobrado na parte de...
25/05/2011 23:37

Na pensão em Vitória

Meu pai quando dava dor de dente, sabe o que ele fazia? Dizia: Esse dente aqui... precisava dar um jeito de melhorar ele! Balançava, balançava o dente até arrancá-lo, depois colocava no fogo. Certa vez ele me levou a Vitória e ficamos numa pensão. Meu pai quando dormia rangia tanto os dentes que a...
25/05/2011 23:08

Nasceram meus meninos

Eu e meu pai trabalhávamos na roça, o Afonso e o Ernesto ficavam na venda, e o Otávio cuidava da tropa de burros, das montarias, arreios, cabrestos, de tudo. Agora para caçar animal e amansar era eu mais o Otávio junto. Um dia o Otávio disse: Eu vou com a tropa buscar café, mas você,...
25/05/2011 22:36

No dia do meu casamento

No dia do meu casamento ainda não tinha água lá em casa e uns dias antes meu pai disse: César Morassuti, vai casar meu filho Anselmo, mas aqui não tem água, então você pega o bigol* com as duas latas e vai buscar água no rio. Vá direto, dia e noite sem parar por três dias. E sabe o que ele fez? Foi...
25/05/2011 21:22

Cahimbo italiano

Meu pai tinha um cachimbo italiano com um canudo comprido que vinha bem embaixo onde tinha uma arruelazinha para colocar o sarro de fumo. Um dia estávamos trabalhando no cafezal roçando assim por cima - porque meu pai plantava mandioca no meio do café - e eu vi uma cobra atravessada em cima do...
25/05/2011 00:00

Minha mãe queria ir para roça

Meu pai trabalhava na roça e minha mãe ficava em casa, mas ela queria ir trabalhar na roça também, mesmo com o filho pequeno. Gênio, quero ir com vocês trabalhar no café, vou fazer o monte pra você peneirar. Meu pai não queria: Você não vai não, Cesira! Fica em casa pois você tem mais serviço...
25/05/2011 00:00

Acontecia na roça

Pra capinar o cafezal, era eu, meu pai e tinha um camarada que se chamava Antônio, era um mineiro que trabalhava pra danar! Meu pai dizia: Antônio, vamos colocar o Anselmo no meio da carreira do café e você dá uma arrancada mais na frente, eu fico aqui e vamos subindo junto até lá em cima. Eu...
25/05/2011 00:00

Pela linha do trem

Quando a gente ia no Treviso, onde meu pai tinha terra, íamos pela linha do trem. Eu até falava para irmos pelo lado de cima, mas o César Morasuti não ia, assim íamos sempre pelos trilhos mesmo. As vezes eu ficava na frente, bem longe dele e ouvia o barulho do apito da máquina : Piuiiiiii. -...